Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘retrospectiva’

A convite do Hell City, nós, o Panamby, elegemos os 10 fatos mais importantes (ou quase isso) de 2008. O post já está no ar lá no Hell City há alguns dias, mas vamos colocar a parada aqui também. Vale lembrar, a numeração é só pra não perder a conta, eles não indicam ordem de importância. Óaí:

1 – Eleição de delegados de cuiaba para conselho Estadual de Cultura
Mobilização nunca vista anteriormente pela classe cultural cuiabana. Foi de grande impacto ver distintas vertentes da arte e cultura se juntaram por uma causa comum, um conselho transparente e pronto para o diálogo.

2- Lançamento de cd do Triêro
Banda nova. Com espíritos e cabeças boas. Triêro foi o grande parceiro sonoro do Movimento Panamby em 2008. O Grande show na CAFE, a Oficina de Capacitação no 24h, o show no 24 horas e o grande lançamento do CD no clube Feminino. 400 pessoas para prestigiar um grupo que faz som autoral e verdadeiro.

3- O Curto Circuito de Teatro
Logo no começo do ano e o recém formado Movimento de Teatro, que surgiu com a proposta de descentralizar e facilitar o acesso das artes à população, se junta e realiza o primeiro Curto Circuito de Teatro. Ampla divulgação e participação do publico. Cuiabá mostrou que tem quem faz e se importa com a arte dos palcos.

4- Eleições para reitoria
A reitoria da UFMT mudou, em partes. O processo eleitoral levou estudantes, professores e técnicos a discutirem propostas e formas de pensar a universidade pública e sua administração, além do consenso de que o voto paritário propicia escolhas que refletem interesses comuns aos 3 segmentos. Com a nova reitora, esperou-se novos pró-reitores e novas possibilidades de discussão que só vão ser postas à prova no início do ano letivo e dos diálogos.

5- Novo conselho gestor do MISC
Uma gestão participativa. Com a decisão de se tirar um gestor único (umbiguista) e tornar a gestão do MISC entre coletivos, sem um dono, rendeu grandes frutos para o cenário de hoje. O MISC passou a ser um ponto fortíssimo de articulações culturais. Diversos eventos, apresentações, mostras, debates, oficinas que rolaram por lá desde a nova forma de gestão entrar em vigos mostra o quanto isso foi uma decisão sábia e coerente.

6- Festival Calango
O Festival Calango, que já está consagrado no cenário independente brasileiro, talvez seja um dos maiores orgulhos cuiabanos quando se trata de bandas e música. É um evento grande e longo, com várias formas de entretenimento e que capacita vários jovens que ajudam a organizá-lo. Além disso, como o festival traz muitos artistas de outros estados acaba tendo uma grande oportunidade de mostrar que a as bandas cuiabanas são tão boas quanto às de fora, além da troca de maturidade que as bandas trocam entre si.

7- O novo 24h de Cultura
O 24h mudou de cara. Assumiu-se como uma semana de capacitações. Foram sete no total. Assumiu também a função de fazer discutir. Dois encontros de debates realizados neste ano, o Seminário do Conexões e o Encontro do Observatório de Pesquisa. O dia cultural teve ao todo 33 apresentações artísticas, com mais de 100 artistas envolvidos. 36 pessoas participaram diretamente da produção e cerca de 154 desenvolveram atividades na programação. Ao todo 30 coletivos, internos e externos a UFMT foram parceiros do projeto. Ano que vem tem mais. =]

8- Prêmios Consciência Hip Hop e Hell City
A distribuição de prêmios simboliza o crescimento da cena em certo aspecto. Nesta ano velho duas novas premiações foram criadas. Uma envolvendo o Hip Hop fora do eixo e outra o cenário rock autoral. Refletem duas vertentes da musica que só cresceram nos últimos anos e a tendência é de continuar crescendo.

9- Shows – Mallu na Casa e Mano Brown na Revirada Cultural
Shows que mostram muito mais do que o Som. Mallu é nova de idade, e representa o novo em tecnologia. A menina que se lançou na internet teve Cuiabá como uma de suas primeiras rotas. Racionais são velhos e polêmicos. Se lançaram nas favelas. Teve show pago pela prefeitura, nas comemorações dos 289 anos de Cuiabá, e oferecido para a comunidade cuiabana como um presente. Dois caminhos que levam para a nova cara de Cuiabá.

10- 1° Convenção de Moda de Cuiabá
Nasceu esse ano o Coletivo Novo e de cara Babi, Bibi e Cia já fizeram a primeira Convenção de Moda de Cuiabá. O evento realizado no finalzinho do ano mostrou sua força. A articulação entre agentes de moda cuiabana ficou evidente numa semana de oficinas, debates e encontros. Mais um braço forte na cultura alternativa e urbana na cidade de Cuiabá.

11- Morte de Guilherme Dicke
Eu sei que eram dez. Mas toda retrospectiva que se preze tem que lembrar daquele que foram importantes de alguma maneira. Guilherme Dicke é sem duvida um marco na historia da Literatura matogrossense e vai fazer falta.

Read Full Post »