Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘reforma agrária’

Talyta Singer | Agência Laboratório

“Com a nova matriz produtiva na agricultura, baseada no uso intensivo de insumos industriais, como máquinas, fertilizantes químicos e agrotóxicos, a produtividade por hectare se multiplicou. A produção total aumentou quatro vezes no mundo. Mas a fome não acabou! E os famintos passaram de 80 para 950 milhões de pessoas. Agora, cerca de 70 países dependem das importações para alimentar seu povo. Na verdade, esse modelo serviu apenas para concentrar o controle da produção e do comércio agrícola mundial em torno de não mais de 30 grandes empresas transnacionais, como a Bungue, Cargill, ADM, Dreyfuss, Monsanto, Syngenta,Bayer, Basf, Nestlé, etc.”

O texto ai de cime foi retirado do artigo “Crise, fome e reforma agrária” (e copiado descaradamente do site da Andes). É de autoria de João Pedro Stédile, economista, professor universitário e marxista. Mas ele é mais conhecido pela sua atividade dentro do MST. E o homem taí. Hoje, Stédile fala na ADUFMAT às 19h sobre a conjuntura atual e o papel do povo nesse contexto histórico.

Read Full Post »

por André de Oliveira
da Agência Subverta!

Leia postagem de hoje no Subverta!, incluindo vídeo de trechos da Marcha do MST no RS. Reportagem de cobertura do primeiro deslocamento Nova Santa Rita-Canoas. 20 km de JORNALISMO. Os pão-cum-banha da imprensa gorda não acompanham nem 500m e já se mandam de volta para suas mirabolantes redações hi-tech ar-condicionadas, com a convicção do dever cumprido. Zero Hora inova sempre: dessa vez só passou de helicóptero, tirando fotos bem de longe. Coletivo Catarse marcha junto pela reforma agrária.

“Na madrugada dessa terça-feira 22, rajadas da massa de ar zuando a 80 km/h trepidaram os tetos de lona preta dos barracos no acampamento Jair Antônio da Costa. Eram vastos uivos com cacetadas maciças de ar e esparsos períodos de chuvisco denso, que por anular qualquer outro som, davam graça ao sono depois de tanto barulho. Foi a noite de temporal que antecedeu o dia de Marcha dos sem-terra no Rio Grande do Sul, com o primeiro deslocamento cumprido da BR-386 em Nova Santa Rita até quase o Centro de Canoas”.

“O protesto de ação direta chegará na sexta-feira 25 à sede do Incra em Porto Alegre, para que Superintendência-RS cumpra o Termo de Ajuste de Conduta (TAC), que assinou há oito meses. O documento também foi assinado pelo Ministério Público Federal, no encerramento da Marcha à Fazenda Guerra, ano passado. Pelo acordo, deveriam ser assentadas mil famílias até abril e outras mil até o final deste ano. Até hoje, necadipitibiribas. Nenhum lote”.

Clique aqui e leia a postagem na íntegra.

Read Full Post »