Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘cuiabá’

por Talyta Singer
que copiou (quase) tudo do email

A Cia Pessoal de Teatro está abrindo vagas para o Núcleo de Pesquisas Teatrais 2009. A idéia é criar um espaço para troca, pesquisa e encontro entre profissionais das artes cênicas e afins, que estejam abertos ao exercício da criação. Além de ser um recurso para a democratização dos conhecimentos e tecnologias e também um espaço de encontro e fruição do teatro.

Para esta primeira edição do núcleo o tema da pesquisa é  “Dramaturgia do Ator”, com encontros mensais (ou seja, dá pra fazer mesmo se você não mora em Cuiabá). Mas ó, são só 20 vagas. Sendo que, quem já participou do workshop com Amaury Como, que foi uma prévia do núcleo, tem vagas preferenciais.

Interessou? Então baixa a ficha de inscrição aquió e envia para ciapessoal@yahoo.com.br. Na dúvida? Ligue para
8111 2597, 9997 4565 ou 3631 4319.

Mais?
Conheça a Cia Pessoal de Teatro
Boa sorte, teatreiros! 🙂

Read Full Post »

Só pra você não esquecer que HOJE Bongs e Vangs tocam na (re?) Inauguração do Sukatta Pub, lugar novinho em folha pra shows e baladinhas. O Sukatta fica ali atrás do Café Cancun e a gente adverte: chegue cedo e garanta seu lugar meio às fãs histéricas. A entrada é 10zão e nós nos vemos lá, tá?

Mais?
Vai ouvindo o melhor do cd ano (na humilde opinião da Rolling Stone) bem aqui.
Ou ouvindo os eternos VMB aqui.

Read Full Post »

por MIC
as Mídias Integradas Cuiabanas

O Hell City fez um especial melhores de 2008 e convidou meiomundo pra criar seu top 10 e dar adeus ao ano velho. Mais ali embaixo tem o Panamby Top 11 e aqui tem o Top 16 do MIC que avaliou acontecimentos e novidades que fizeram de 2008 um ano beeeem legal. Ó:

Festival Calango
Estréia (séria) da maioria dos agentes da comissão de comunicação da Volume. Foi nesse puta Festival (com um puta cast de bandas) que a gente viu como uma equipe de comunicação funciona do melhor jeito que há: na prática, fora a realização de laboratórios de cobertura. Ressaltando também o Congresso Fora do Eixo, que aconteceu na semana do Festival, que vimos realmente qual era a proporção do evento. Além da realização de coletivas fechadas para a imprensa. Também teve o Calango na Escola, onde foram feitas oficinas de blog, rádio, web TV, fotografia e zine em escolas da rede pública de ensino.

24 Horas, 3ª SEDA, Festival Consciência Hip Hop, Convenção de Moda, Festival Cururu e Siriri
Eventos muito diferentes entre si, o que proporcionou ótimos laboratórios, cada um ensinando pra gente uma perspectiva diferente de como trabalhar na nossa área. O 24 horas de Cultura foi um evento gigante, feito na raça, onde trabalhamos diretamente com os parceiros do Panamby. A Convenção de Moda e o Festival Consciência Hip Hop levaram pra gente pra um mundo totalmente desconhecido assim como o último evento listado, que tem uma linguagem muito diferente do que estamos acostumados a trabalhar, foi a união do velho com o novo, tipo, tecnologias contemporâneas associadas a tradição cultural, resultando em um lindo evento. E por fim a SEDA veio pra qualificar os nossos agentes.

Revista Grifo e Revista Espectador, Blogs lançados esse ano
As duas revistas da cena cultural nasceram em 2008 com idéias muito parecidas: falar da cultura local de forma livre. E jeitos muito diferentes, a Espectador falando sobre os eventos e movimentos mais importantes da cultura local e a Grifo sem matéria de capa e cheia de seus artigos de opinião, entrevistas e piadinhas sem graça pensando em todos os vira-voltas que esse povo da cultura dá. Foram 2 Grifos e 3 Espectadores que mostraram que essa terra quente tem assunto pra muito papel, os impressos deram voz a um meio mundo de gente que mandou colaborações, criticou, achou bonito e veio junto falar junto com a gente. Sobre os blogs, isso popularizou as técnicas de comunicação derivadas das políticas de implementação de mídias independentes em coletivos parceiros do MIC e do EC.

WordPress, Ffffound, Flash, MediaFire, Flickr, Twitter, MySpace, Hi5 e por aí vai
2008 também foi o ano dos acessórios pra comunicação. Parece coisa pouca, mas no fim das contas os softwarezinhos deram foi uma mãozona na produção da comunicação cuiabana com seus serviços grátis e acesso fácil e agilizaram o trabalho que já estava acontecendo. Foi o ano de abandonar (ou quase) o Blogspot e descobrir como funciona o WordPress, alguns terás upados no MediaFire, horas de música disponíveis no MySpace, dedos cansados de fotografar que foram pro Flickr e por aí vai. Tamos é loucos pra ver o que 2009 vai trazer pra nossas telas e teclados.

Fórum de Cultura – Eleição dos Novos Conselheiros
Pelo impacto gerado na classe cultural, pelas novas perspectivas que esse momento gerou. Foi um laboratório de coberturas de eleições focando no debate político-cultural. Contou com elaboração de textos, coberturas dos fóruns e eventos da agenda eletiva, e também o lançamento do novo site do MIC.

Cubo Card em espécie
Aconteceu no Calango e como disse o Fabrício Nobre: “beira o lúdico”, um momento de consolidação das nossas ações, idéias e ideais.

Web Rádio Fora do Eixo
Pelas suas transmissões ao vivo, de eventos diferenciados, equipe trabalhando em rotatividade, e por proporcionar que as pessoas acompanhem nossa movimentação em tempo real. Agenda intensiva de transmissões de festivais e eventos de médio e pequeno porte em Cuiabá e em outras cidades brasileiras. A transmissão conseguiu envolver também agentes produtivos de outros coletivos do Circuito Fora do Eixo.

Prêmios Consciencia Hip Hop e Hell City
Pelo incentivo da busca de profissionalização e qualidade que isso causa nas produções, seja de musica, de eventos, de clipes, e etc.

Nova gestão do MISC
A gestão compartilhada dele, momento riquíssimo da historia, rs.

Lançamento do Portal Fora do Eixo
Projeto idealizado há dois anos e lançado em abril de 2008, promovendo assim um upgrade nas políticas de difusão e integração da rede do circuito

Projeto Monte Sua TV
Capitaneada pela Próxima Cena e que multiplicou o número de tv’s no Circuito Fora do Eixo


Transmissão ao Vivo – Web Rádio Fora do Eixo

1º Fórum de Mídias Independentes
Realização do 1º Fórum de MI no início do ano que lançou a necessidade de maior articulação e planejamento das mídias independentes em Cuiabá.

Grito Rock – cobertura e início das experimentações de linguagem da TV
Primeiro projeto do ano que lançou a Web TV Hell City, e uma nova forma de linguagem das TVs Online. Lá aconteceu também a segunda edição do projeto de Coletivas abertas ao público, que será repetida esse ano novamente;

Lançamento do MIC
Inauguração dos trabalhos das Mídias Integradas Cuiabanas, juntando mídias independentes de diferentes coletivos de Cuiabá.

Macaco Bong nos Melhores da Rolling Stone
Apesar de ter sido agora em janeiro, é fruto de um trabalho que vem sendo feito por nós de hell city há anos, e mais densamente em 2008. O disco entrou em dezenas de outras listas de melhores. Sem citar também os dois shows no Pop Montreal.Pela primeira vez uma banda de Hell City representou na gringa dessa maneira, com reconhecimento de público e crítica.


Portal Fora do Eixo

Vanguart novamente indicado ao VMB
Depois de Cachaça no ano anterior, em 2008 o Vanguart novamente entrou no VMB, dessa vez com o esperado clipe de Semáforo. Novamente contaram com o talento de Paulinho Caruso para a produção, dessa vez sem Otávio Pacheco, que provavelmente volte ao VMB em 2009 com o Noise James, do Macaco Bong. Mais visibilidade pra Cuiabá.

Surgimento do Coletivo Novo
Importante articulação em mais um segmento cultural, a produção da moda. Além de gerar campo de trabalho para agentes que já atuavam em entidades como a Volume, o Coletivo Novo aproximou mais profissionais da moda, que se interessaram pela movimentação da cultura alternativa. Um dos resultados foi a Convenção de Moda, evento muito bacana que colocou a moda na cabeça (e no corpo) dos alternas cuiabanos.

Reeleição do Wilson Santos
Teremos por mais 4 anos a gestão do prefeito que visualizou a descentralização da gestão para a sociedade civil, fazendo uso do processo de Governança Integrada, através do qual prefeitura e povo realizam ações conjuntas por intermédio das secretarias. O prefeito já anunciou que a Governança Integrada terá continuidade. Vale ressaltar também o trabalho do Mário Olímpio, gestor da pasta mais próxima dos nossos trabalhos, a da cultura.

Estabelecimento da Lojinha do Cubo
Aproveitando um espaço que já estava destinado há um certo tempo pra isso, a Cubo Discos, juntamente com a Volume Distribuição catalogou todos os produtos recebidos e coletados pelo Espaço Cubo e montou um super acervo, bem organizado e com variedade. As vendas são realizadas em espécie e em cards e os produtos podem ser adquiridos na sede do Espaço Cubo ou através da loja do Portal Fora do Eixo. Genial!

O MIC é Alfa Canheti,Fernanda Quevedo,Talyta Singer, Marielle Ramires, Lígia Torres, Dríade Aguiar, Ney Hugo, Vítor Torres, Bruno Corrêa e Luciano Ribeiro. Deu pra entender o tamanho da lista?

Read Full Post »

por João Pede Feijão
e os mano e as mina do Movimento Panamby


Em tempos de protagonismo, os coletivos parceiros e cooperativados (COCCAR) unem-se em torno do último festival do ano: o Festival Consciencia HIP HOP.

O Festival tem o intuito de fomentar e fortalecer o HIP HOP como linguagem criativa e identitária, para jovens de periferia cuja a única perspectiva, historicamente, tem sido os sub-empregos e a violência. Alterar o olhar que esses jovens tem de si e do mundo é uma finalidade cumprida pelo Rap, Break, Grafitti, Basquete de Rua  e discotecagem; essas atividades, congregadas nesse grande festival, convergem diretamente para alternativas de vida, até então distantes da realidade imposta a esses jovens que como eu amavam as novelas e o medo. A perifa ta na área, mostrando a cara em coro “somos do movimento HIP HOP”.

Prêmio + Batalha de Break + Discussão + Shows + Invasão
A programação é extensa e em si mostra quanto hip hop cabe nesse país. Crews de Break, Dj’s, Mc’s e grupos de tudo que é lado ficam juntos-misturados nos dois dias de programação. Começando devagar, o Seminário Hip Hop discute Comunicação, Formação de Público, Circuito Hip Hop Fora do Eixo e articula um Fórum Brasileiro de Break. As tardes ficam por conta da Batalha de Break, onde os crews competem – e se pá levam uma graninha – e do Invasão Hip Hop, projeto que circula rap pelos bairros de Cuiabá e pulou para dentro da programação do festival com apresentação de grupos de todas as regiões da Hell City. Pra esquentar, toda noite tem festival de rap com nomes bem conhecidos dos inciados do movimento. Mas a curiosidade fica mesmo com o Prêmio Consciência Hip Hop que divulga os resultados no sábado da noite e será apresetado por Nega Gizza (RJ).

Não esquece!
O festival rola nos dias 20 e 21/12 no Clube Feminino, que fica ali na Rua Barão de Melgaço – na Secretaria Municipal de Cultura.

Pra saber mais e ver a programação completa, só visitando o www.conscienciahiphop.org.br. É nóis!

Read Full Post »

por Talyta Singer
da Agência Laboratório


O Conciência Hip Hop tem suas datas (finalmente!) marcadas para 20 e 21 de dezembro quando o rap tomará conta do Clube Feminino num dos festivais do gênero mais importantes do país. Agora, com programação lançada e tudo ficando prontinho é hora da imprensa interessada em ver/ouvir/gravar o que rola nessa fita se cadastrar para participar do evento. A ficha de inscrição é essa aqui ó, e deve ser preenchida e entregue na Secretaria de Cultura de Cuiabá até o dia 19, em horário comercial. Na dúvida, favelacomunicacao@gmail.com ou pelos telefones 3028-1114 e 9287-5518.

A programação do evento inclui batalha de break, muuuuito rap rolando com GOG (DF), Erick Flow (GO), Renegado (MG), Viela (DF) entre outros e o melhor da produção tchapa e cruz, além do Prêmio Consciência Hip Hop que elege os melhores do segmento. Pra ver tudo, clique aqui. Pra votar nos seus favoritos ou conferir a lista de indicados, o link é esse.

Mais?
www.conscienciahiphop.org.br
www.cufacuiaba.blogspot.com

Read Full Post »

Por Luciano Ribeiro
Da agência Laboratório

seda-macaco-bongDurante os primeiros três dias de oficina, na 3° SEDA (Semana do Audiovisual) rolou um videoclipe dedicado a banda Snorks, os documentários para O Caximir e O Centro Histórico de Cuiabá, sem falar numa equipe separada para o making off. A grande maioria dos oficinantes são “marinheiros de primeira viagem”, que estão se saindo muito bem por mais que as dificuldades apareçam. A parceria com Otavio Pacheco, o cineasta  paulistano com sua técnica,  e o terrorista audiovisual baiano Daniel Lisboa facilitam o processo de aprendizado da galera.

Com uma câmera na mão – que pode ser uma simples máquina digital  – e vontade fazer o filme sai!!”Só é necessário dedicação”, diz o oficineiro Daniel, que conclui que “o segredo é na maneira como você vê as coisas, algo que parece não ter nenhuma importância e passaria despercebida, pode virar um super atração para seu vídeo”, conclui.

O fato mais interessante na SEDA é a participação do público que mediante a inscrição “cubocardiana”, com valor escolhido através do plano de troca oferecido, compareceu a todas as reuniões e filmagens sugeridas pelos supervisores e/ou grupos de pesquisa. Mesmo já em fase de edição na maioria dos trabalhos, ainda dá tempo de dar uma “pescoçada ” nas mesas de debates e nas mostras que rolam sempre a partir das 18hs. Neste restinho da semana ainda vão rolar shows com diversas bandas e a conclusão dos projetos que nasceram durante o evento.

Bora fazer um filme? Ou ver como faz no www.pacotinhodeseda.wordpress.com, mas na dúvida o telefone para informações é 3023-1794.

Read Full Post »

por Vitor Torres
da Agência Laboratório

o confronto

A minha foi mais ou menos há uns dois anos, no meio duma praça lá no bairro do Porto em Cuiabá. Era por volta de meio dia dum dia quente. Confesso, estava um pouco nervoso mas minha parceira Giulia Medeiros, a Caju da Volume, me ajudava a ficar mais tranquilo, dizendo extamente como queria que fosse cada movimento. Me lembro com detalhes da primeira posição, um pouco agachado, fazendo um movimento da esquerda para direita. Depois disso, tudo fluiu com mais facilidade, sempre seguindo as ordens de Giulia. O resultado desse descabaçamento pode ser conferido aqui. Foi a primeira vez que peguei numa camera e fiz o papel de fotógrafo, nesta ocasião, dirigido pela já promissora Caju.

Isso tudo foi durante a 1ª SEDA – Semana do Audiovisual que aconteceu lá no SESC Arsenal em 2006. Quem ministrou as oficinas naquele ano foram os videomakers Paulinho Caruso e Otavio Pacheco, ambos de São Paulo. Nessa mesma primeira semana mais três videos (além do que eu perticipei) foram produzidos, todos sob a direção de pessoas, que assim como eu e Caju, também estreavam por trás das câmeras. Os vídeos estão todos lá no canal youtubiano da Próxima Cena, frente gestora do insaciável Espaço Cubo, responsável pela produção da SEDA.

Em 2008 a Semana do Audiovisual chega a sua 3ª edição e vem subtitulada “Alterna ao Cubo”. Seguindo a mesma linha de como pensar e fazer audiovisual, promoverá por uma semana (a que vem) oficinas, mostras, shows, sempre tentando diminuir a distância do cinema à comunidade e sempre querendo que cada vez mais pessoas queiram o mesmo.

Já deu para sacar que a função da SEDA é fomentar o cenário e formar novos produtores (agitadores) de audiovisual em Cuiabá, mostando-lhes uma alternativa de como se trabalhar com áudio e vídeo, desmistificando a indústria do cinema e trazendo novas mídias (e possibilidades) para mais perto das pessoas. Sem a premissa de emissores e receptores, todo mundo pode.

No próximo post a primeira vez de João Pede Feijão…

Read Full Post »

Older Posts »